CUIABÁ

Tribunal de Justiça de MT

Pauta Concentrada possibilita soluções rápidas para empresas e consumidores

Publicado em

Para a empresa Energisa, o Projeto Pauta Concentrada do Judiciário de Mato Grosso tem se mostrado uma oportunidade de oferecer soluções rápidas aos problemas dos consumidores. Com mais de 1,5 milhão de unidades consumidoras ativas, a Energisa é uma das empresas que aderiu ao Projeto e, segundo o gerente jurídico, Marcelo Reberte, contabiliza 30% de casos com solução, seja por acordo ou pela oportunidade de esclarecer os clientes, o que evita o prolongamento do assunto no judiciário.
 
Na experiência do gerente jurídico, a participação no Projeto é a oportunidade de poder discutir efetivamente cada situação e chegar à conciliação. Ele explica que, na forma tradicional das audiências de conciliação, em razão do volume em diversos temas que surgem nos juizados, acaba se misturando as matérias e o tempo fica muito exíguo. Com o projeto, é possível conversar melhor sobre as questões e apresentar a proposta de acordo ou até mesmo expor o motivo que a empresa precisou tomar certo posicionamento.
 
“Temos cerca de 1,5 milhão de consumidores e, ao longo do mês, alguns podem fazer mais de um contato com a empresa, seja porque ele quer rever uma situação, solicitar alguma demanda. Em razão de o sistema ter que atender a expectativa de todos os consumidores, é um desafio muito grande. Mesmo a Energisa figurando entre as principais demandadas no Judiciário ou no Procon, temos um número bastante inferior a outros segmentos, se considerar isso proporcionalmente”, explica Marcelo Reberte.
 
Ele conta que as audiências oportunizam aos consumidores que possuem alguma pendência ou questionam algum débito também, a oportunidade de ouvir a proposta. “Os resultados são muito superiores do que aqueles que a gente tem nas pautas regulares. O aproveitamento do resultado na pauta concentrada é muito melhor e também estamos realizando o mesmo esforço para levar isso nas outras demandas”, destaca.
 
A Energisa faz uma análise de cada caso antes de ir para audiência da Pauta Concentrada e, quando é possível o acordo, a empresa já chega com uma proposta. “Mas já ocorreu de termos verificado situação na qual conseguimos demonstrar para cliente porque ele tem aquele débito e ele mesmo adere a uma forma de parcelamento. Antes do Projeto Pauta Concentrada tudo isso ficava misturado e os acordos eram de 5%, agora temos 20% de acordos e se somarmos outras soluções que conseguimos oferecer chegamos a 30% de casos que são resolvidos ali mesmo, seja por acordo ou pela conversa com o consumidor”, finaliza.
 
Pauta Concentrada – Atualmente, participam do projeto a Energisa, Vivo/Telefônica e Banco do Brasil, mas a intenção é buscar a participação de outras empresas. Inicialmente, o projeto foi implantado nos Juizados Especiais de Cuiabá e Várzea, mas em razão do resultado positivo foi expandido para os Juizados Especiais de Rondonópolis, Sinop e Cáceres.
 
Na Pauta Concentrada, as audiências de uma mesma empresa são concentradas em um único período, previamente definido, otimizando o trabalho dos advogados e prepostos. Com o novo Portal, fica ainda mais ágil e fácil acessar as audiências, pois nele os links ficam disponíveis para serem consultados em cada sala.
 
 
 
Nos links abaixo você tem acesso a outras matérias sobre a Pauta Concentrada:
 
 
 
Andhressa Barboza
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Judiciário mato-grossense integra processos judiciais à Plataforma Digital do país
Advertisement

Tribunal de Justiça de MT

Justiça participa de Plano Municipal de Convivência Familiar e inauguração de Casa Lar em Itiquira

Published

on

O Poder Judiciário de Mato Grosso participou do lançamento do Plano Municipal de Efetivação do Direito à Convivência Familiar e Comunitária do Município de Itiquira (357 km ao sul de Cuiabá). A iniciativa tem o objetivo de promover, proteger e defender o direito de crianças e adolescentes à convivência familiar e comunitária refletindo o compromisso de oferecer prioridade a essa temática, com a perspectiva de garantir a proteção integral. Além disso, o Poder Judiciário participou da inauguração da nova sede da Casa Lar dos Idosos do município.
 
Segundo a juíza substituta da Vara Única, Fernanda Mayumi Kobayashi, no encontro, que marcou o lançamento do Plano, foi realizado um treinamento sobre Formação Vivencial para Acolhimento em Rede voltado a todos os servidores que atuam na Rede de Proteção às crianças e aos adolescentes.
 
“Itiquira possui uma Casa de Acolhimento e queremos diminuir o número de crianças e adolescentes e o tempo de estadia deles. Uma das estratégias para que isso aconteça é a implementação do Programa Família Acolhedora no município. O evento foi uma oportunidade de apresentar o programa, que é um serviço de acolhimento temporário em residências de famílias cadastradas com o intuito de oferecer as essas crianças e adolescentes a oportunidade de um convívio familiar. Foi um bom primeiro encontro e é um programa de muito potencial”, destacou a juíza.
 
A magistrada participou da inauguração da nova sede da Instituição de Longa Permanência para Idosos o Lar Nossa Senhora Aparecida, que agora está localizado no Bairro Altino Ribeiro. Um espaço amplo, mais moderno, com acessibilidade que garantirá mais qualidade de vida aos idosos institucionalizados do município.
 
“A nova sede, que foi fruto de um Termo de Acordo de Ajustamento entre a Prefeitura e o Ministério Público, é um local mais adequado para receber esses idosos, com acessibilidade, banheiros adaptados e um espaço mais arejado. Realmente é um grande avanço. A nova sede ainda dá a possibilidade de receber novos idosos, atualmente oito moram nesse local, mas é importante ressaltar que não é qualquer idoso que pode ficar lá, existem critérios”, apontou.
 
Participaram do evento no Salão Paroquial da Igreja Matriz de Itiquira aproximadamente 100 pessoas entre servidores da Secretaria Municipal de Assistência Social, Conselho Tutelar, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Conselho Municipal da Assistência Social, Educação, Saúde, Ministério Público, Poder Judiciário e famílias pretendentes. Durante o evento também foi apresentado aos presentes os serviços do Programa Família Acolhedora.
 
#ParaTodosVerem: esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência. Imagem 1: Foto horizontal colorida todos os participantes estão perfilados, com pessoas ajoelhadas ou em pé. Ao fundo uma tela de retroprojetor, caixas de som e uma cruz. Imagem 2: Foto horizontal colorida do pátio da nova sede da Casa dos Idosos, que possui um pergolado e bancos de madeira.
 
Larissa Klein/ Foto: Assessoria da Prefeitura de Itiquira
Assessoria de Imprensa CGJ 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Leia Também:  Políticas públicas e governança: inscrições abertas para aula magna na próxima segunda

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA MT

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA