CUIABÁ

POLÍTICA NACIONAL

EUA querem estreitar relação com a Colômbia após vitória de Petro

Publicado em

source
Gustavo Petro, senador e candidato da esquerda à Presidência da Colômbia
Reprodução

Gustavo Petro, senador e candidato da esquerda à Presidência da Colômbia

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, afirmou que deseja “estreitar” o relacionamento com o governo da Colômbia, após a vitória nas urnas do candidato de esquerda Gustavo Petro, do partido Colombia Humana, no domingo (19).

“Esperamos trabalhar com o presidente eleito Petro para estreitar mais a relação entre os Estados Unidos e a Colômbia, e levar nossas nações a um futuro melhor”, disse Blinken em comunicado.

O chefe da diplomacia dos EUA também parabenizou “o povo da Colômbia por se fazer ouvir em eleições presidenciais livres e justas”.

Segundo Blinken, ambos os países compartilham dos mesmos valores e interesses em termos de democracia, direitos humanos, segurança e economia. A cooperação entre Washington e Bogotá, afirmou, permitiu “melhorar” a saúde pública, o estado de direito e o meio ambiente na região.

Leia Também:  Marcelo Melo estreia com vitória nas duplas de Wimbledon

Em um triunfo histórico, a esquerda conseguiu, pela primeira vez, conquistar a presidência da Colômbia, com 11.115.965 votos, o equivalente a 50,51% do total. Rival de Petro, o empresário Rodolfo Hernández, da Liga Anticorrupção dos Governadores, obteve 10.391.504 votos (47,22%).

Ao longo de sua carreira política, o presidente eleito propôs reformas ambiciosas na previdência, impostos, saúde e agricultura, e mudanças na forma como a Colômbia combate os cartéis de drogas e outros grupos armados.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o perfil geral do Portal iG .

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

POLÍTICA NACIONAL

TSE responde aos questionamentos técnicos das Forças Armadas    

Published

on

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, enviou hoje (8) ao ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, um ofício com as respostas técnicas sobre os questionamentos feitos pela equipe das Forças Armadas que foi designada para acompanhar a fiscalização do processo eleitoral. 

No documento, Fachin afirmou que não há previsão normativa para registro escrito de algumas informações solicitadas pela equipe, como a lista de serviços utilizados no recebimento do boletim de urna, de bibliotecas instaladas no servidor e resumos criptográficos e de interpretadores (Java, PPytohon, PHP). 

“Nessa ordem de ideias, para garantir o fiel cumprimento da norma, o TSE franqueou o acesso  às  suas  dependências  para  inspeção  do  código-fonte  dos programas a serem utilizados nas eleições 2022, desde o mês de outubro do ano de 2021, fazendo ampla divulgação das suas reiteradas iniciativas de transparência”, diz o ofício. 

Sobre o acesso à informações das eleições anteriores, o presidente disse que o prazo para solicitação dos dados já terminou, conforme as regras válidas a partir do ano passado. 

Leia Também:  Projeto estabelece critérios para aplicação da terapia de análise do comportamento aplicada

“As  entidades  fiscalizadoras  do  processo  eleitoral,  nos  termos  da  Resolução nº. 23.673, de 2021, não possuem poderes de  análise e fiscalização de eleições passadas, não lhes cumprindo papel de controle externo do TSE”, afirmou o tribunal. 

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Política Nacional

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA MT

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA