CARREGANDO

Escreva para pesquisar

Destaques Notícias Polícia

Parceria garante contratação de 20 reeducandos por empresas de Sorriso

Redação
Redação fev 13

Os recuperandos têm uma jornada de trabalho de 44 horas semanais, recebem um salário mínimo e a cada três dias trabalhados um dia de pena é reduzido

Vinte e seis reeducandos do Centro de Ressocialização de Sorriso (CRS) foram contratados para exercerem funções nas áreas de construção civil, auxiliar de cozinha, madeireira, transportadora e em loja de materiais para construção. 

A nova oportunidade faz parte de uma parceria da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), por meio da Fundação Nova Chance (Funac), o Conselho da Comunidade e o Poder Judiciário do município. 

De acordo com o diretor do CRS, Enilson de Castro Souza, os recuperandos têm uma jornada de trabalho de 44 horas semanais, com intervalo para almoço. Eles ainda recebem um salário mínimo e a cada três dias trabalhados um dia de pena é reduzido.

Os critérios para contratação dos novos colaboradores é terem cumprido 1/6 da pena e ter um bom comportamento na unidade, que é o que estabelece a Lei de Execução Penal (LEP). “Não mediremos esforços para conseguir a contratação de mão de obra de recuperandos da unidade. É uma ação conjunta de muitos gestores para fazer esse trabalho dar certo”, afirmou. 

O presidente da Funac, Emanoel Flores, explica que o principal papel da instituição é promover a ressocialização, resgatando a autoestima e sendo uma oportunidade de renda para o recuperando.

“Eles são contratados como qualquer outro funcionário da empresa, sem distinção de uniforme, de local de almoço e com todos os direitos garantidos. Atualmente são mais de 900 contratos por intermediação da Funac”, completou. 

A autorização para a atividade extramuros foi dada pela juíza da 1ª Vara Criminal de Sorriso, Emanuelle Chiaradia Navarro Mano, que ressaltou a importância das ações de ressocialização para diminuir as chances de reincidência. 

“Assim, eles conseguem já ter algum rendimento financeiro e profissional após deixarem a unidade. É importante chamar atenção para que outras empresas também façam parceria para contratação de mão de obra dos reeducandos”.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *