CARREGANDO

Escreva para pesquisar

Destaques Política

Liderança do PT foi a que mais usou cota parlamentar em 2021, R$ 157.364,31

Redação
Redação jan 09

A liderança do Partido dos Trabalhadores (PT) foi a que mais usou a Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar em toda a Câmara dos Deputados durante 2021. Ao todo, foram gastos R$ 157.364,31 entre janeiro e dezembro do ano passado, do total de R$ 813.661,75 das 17 lideranças que tiveram custos.

A cota é destinada a reembolsos e débitos de deputados que gastam com despesas vinculadas ao exercício da atividade parlamentar. Ela unificou, em 2009, a verba indenizatória, a cota de passagens aéreas e a cota postal-telefônica. Somente no primeiro semestre de 2021, o PT gastou R$ 79.436,13 da cota, valor mais alto do que o utilizado por 15 lideranças.

Em fevereiro, por exemplo, a liderança do Partido dos Trabalhadores gastou R$ 21.658,71, sendo R$ 13.511,56 em serviços de divulgação da atividade parlamentar, como vídeos, manutenção de site e envio de mensagens eletrônicas. Naquele mês, também se destaca o reembolso de R$ 1.045,00 em alimentação no dia 9.

Em agosto, o segundo mês com os maiores gastos, a liderança do partido utilizou R$ 17.616,36 da cota. Nesse período, há gastos como hospedagem em um hotel à beira-mar no Ceará, durante o fim de semana, totalizando R$1.058,00, que foram reembolsados.

Para efeito de comparação com outro partido com bancada com número semelhante de deputados, o PSL, de 55 parlamentares na Casa — dois a mais que o PT —, gastou cinco vezes menos. O Partido Social Liberal utilizou R$ 30.137,04 entre janeiro e dezembro de 2021. 

Partido Democrático Trabalhista

Ainda entre as lideranças, o PDT foi o segundo partido com maior utilização da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar, com R$ 108.329,97. O valor é referente aos pagamentos mensais de R$ 10 mil a uma empresa de prestação de consultoria de comunicação e gerenciamento de redes sociais em 2021.

Em novembro, no entanto, apesar do pagamento de R$ 10 mil, houve um reembolso de R$ 8.329,97. A Câmara não detalha no portal o motivo do valor não reembolsável. Em dezembro não há registro de utilização da cota pela liderança do partido.

Deputado Bohn Gass, líder da Bancada do PT – Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Procurado, Bohn Gass, líder do PT na Câmara, informou que os gastos do partido foram mais altos por ter uma “bancada grande e atuante” e argumentou que faz o uso da cota “estritamente dentro das regras”. Wolney Queiroz, líder do PDT, não respondeu ao questionamento da reportagem até o fechamento. O espaço segue aberto para manifestações.

Fonte R7

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *