CUIABÁ

GERAL

Candidato a vaga na Polícia Civil do Rio morre após teste físico

Publicado em

Um candidato ao cargo de inspetor no concurso da Polícia Civil do Rio de Janeiro passou mal durante a prova física e morreu. Vídeos que circulam na internet mostram Fabio Henrique Silva, de 41 anos de idade, passando mal e caindo no chão durante a prova de corrida. O teste de Fabio estava marcado para 12h20 desta quarta-feira (22).

A Secretaria Municipal de Saúde informou que ele deu entrada no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla na madrugada de ontem (23), mas faleceu “pouco tempo depois, ainda no início da manhã”.

A Polícia Civil lamentou a morte e informou que o candidato apresentou laudo médico para a realização da prova, sendo socorrido e levado ao hospital após passar mal.

Concurso

No edital do concurso público está prevista a Prova de Capacidade Física, que só podia ser feita mediante a apresentação de um atestado médico com data de emissão de no máximo 30 dias e com a informação de que o candidato está apto a realizar a prova.

A avaliação envolve Teste da Flexão Abdominal, Corrida de Velocidade (100 metros), Teste de Flexão de Cúbitos (braços) e Teste de Resistência com corrida de 12 minutos, onde os candidatos homens devem percorrer um mínimo de 2.400 metros no tempo determinado.

Leia Também:  Revolução astronômica à vista: novas imagens iniciam grande avanço

Procurada a organizadora do concurso, Fundação Getulio Vargas (FGV), ainda não se pronunciou sobre as medidas de socorro prestadas a Fabio.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

GERAL

Maus-tratos levam polícia do Rio a fechar asilo em Guaratiba

Published

on

A Polícia Civil do Rio de Janeiro fechou uma casa de idosos no bairro de Guaratiba, zona oeste da cidade, e prendeu em flagrante, neste domingo (7), um homem e uma mulher responsáveis pelo endereço. O casal está sendo acusado por crimes de tortura, cárcere privado e maus-tratos. As identidades dos presos não foram reveladas.

Os agentes da delegacia policial de Campo Grande foram até o local checar uma denúncia de técnicas de enfermagem estagiárias, que tinham iniciado o primeiro plantão na casa de idosos no domingo.

Ao verificar as condições subumanas em que os idosos viviam, a estagiária Daniele Mota, 44 anos, decidiu deixar o plantão e foi à delegacia de polícia relatar os maus-tratos e abandono.

Em nota, a Polícia Civil informou que “no asilo tinham 29 idosos internados. As testemunhas relataram que as vítimas estavam em condições precárias e insalubres, sem atendimento médico, material hospitalar e de higiene, recebiam uma alimentação precária e sofriam agressões. No lugar, os policiais constataram os fatos”.

Segundo os agentes policiais, um dos idosos foi diagnosticado com úlceras de pressão, uma delas em estado de necrose, com quadro de desnutrição e desidratação aguda, além de visível infecção generalizada. Ele foi encaminhado para a rede pública de saúde.

Leia Também:  Polícia Civil prende autor de feminicídio poucas horas depois de cometer o crime

Em depoimento, a esposa de uma das vítimas afirmou que estava há mais de um ano sendo impedida de ver o marido na casa de repouso. 

Atendimento

Uma equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social esteve hoje (8) na casa de repouso para verificar a situação dos 29 idosos e tentar localizar os parentes.

Desse total, três deles precisaram de cuidados médicos e foram enviados ao Hospital Rocha Faria. Vinte famílias já foram localizadas e levaram seus familiares para casa, e seis pessoas já foram encaminhadas para abrigo de idosos da secretaria porque não foi possível identificar os parentes.

Dois idosos foram encaminhados a albergues da prefeitura no centro da cidade, um para o Albergue Haroldo Costa e três para o Albergue Carlos Portela.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio informou que os residentes da Casa de Repouso de Guaratiba foram avaliados no local por equipes de saúde da Atenção Primária.

Três deles, com necessidade de assistência em unidade hospitalar, foram transferidos: um, pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência , para a Unidade de Pronto Atendimento  de Campo Grande, e as outras duas, uma senhora de 81 anos e outra de 92, foram encaminhadas ao Hospital Municipal Rocha Faria, onde seguem com quadros estáveis e recebendo cuidados indicados.

Leia Também:  Polícia investiga ao menos 20 outras possíveis vítimas de anestesista

No site do Tribunal de Justiça do Rio consta um processo na área criminal contra a casa de repouso de Guaratiba e outros cinco na área cível.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA MT

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA