CARREGANDO

Escreva para pesquisar

Destaques Notícias Política

Câmara de Cuiabá têm ações centralizadas na pessoa do presidente da Casa

Redação
Redação maio 09

Parece que a gestão do vereador Juca do Guaraná (MDB), na Câmara Municipal de Cuiabá, não tem agradado à maioria dos parlamentares. Ele é o presidente da Casa e um dos maiores aliados do prefeito Emanuel Pinheiro, do mesmo partido.

Um coro de descontentes classifica Juca como “individualista” e reclamam bastante de sua forma de conduzir o Parlamento Municipal. Entre os principais críticos do presidente, estão os vereadores Tenente-Coronel Paccola (Republicanos) e Marcus Brito Júnior (PV).

Ambos não escondem o descontentamento com a gestão, e afirmam que esse é o sentimento da maioria dos parlamentares.

Paccola, inclusive, afirmou que os próprios membros da Mesa Diretora não estão satisfeitos com a maneira como Juca do Guaraná vem administrando o Legislativo cuiabano. “Com certeza, há uma insatisfação. E, sem dúvida, não é só da parte de um grupo dos 11 vereadores – entre oposicionistas e independentes. É também dos que estão próximos da presidência. Eu vejo que existe, sim, uma insatisfação muito grande, inclusive dos membros da própria Mesa Diretora”, disse o parlamentar, lembrando que Juca sequer cogitou a possibilidade de concorrer à reeleição.

Um dos pontos negativos da atual gestão, citado por Paccola, é a falta de transparência, especialmente nos procedimentos administrativos, como é o caso da contratação de agências de publicidade.

“A Câmara tem R$ 4 milhões para gastar com publicidade, mas não tem transparência. Quando se trata de gastos com inserção, audiovisual, não há transparência na Casa”, disse.

Brito Júnior afirmou que atual gestão gera um sentimento de abandono em relação aos demais membros do Poder Legislativo.

“Há um sentimento de abandono total, porque a Presidência hoje só se preocupa com o presidente não preocupa com o restante dos vereadores. A gente não se sente abraçado”, afirmou.

Segundo Brito Júnior, o atual presidente não cumpriu com os acordos políticos após ter sido eleito, e ainda não disponibiliza os serviços da Casa para os 24 vereadores.

“Não digo que houve traição, digo falta de cumprimento de alguns acordos, e a Casa não nos proporciona nada. Só tem espaço quem fica pedindo, mendigando. Isso não existe: o vereador tem que ter a sua cota, tem que ter a sua fatia para poder trabalhar e poder levar as ações aos cidadãos”, reclamou.

Como exemplo, ele cita a Sala da Mulher e a Secretaria de Comunicação do Legislativo.

De acordo com o parlamentar, esses setores atendem apenas à Presidência, deixando de lado as ações dos demais vereadores.

“Temos a Sala da Mulher aqui, é feito todo um trabalho muito bom, conta com a colaboração de todos os vereadores, mas, na hora de fazer a efetivação do projeto, só aparece a Presidência. Além disso, é péssima a Comunicação Social, e isso prejudica”, completou.

Para ele, Juca do Guaraná age dessa forma por motivações eleitorais. “Motivação eleitoral, má gestão; às vezes, também, mau assessoramento. Aqui é a Câmara dos Vereadores, ele está na presidência como nosso representante. Votei nele, sim, acreditando que seria um trabalho legal, mas está tudo ao contrário”, disse, observando que o descontentamento é geral.

“Esse descontentamento não é só do vereador Marcus Brito. Se você procurador vereadores, verá que o descontentamento é com todos”, completou.

Vale lembrar que a Câmara vive um momento de formação de uma nova mesa diretora. Em agosto deste ano, haverá eleição para a escolha da de quem comandará o Legislativo pelos próximos dois anos.

O vereador Juca do Guaraná é pré-candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *