CUIABÁ

AGRO & NEGÓCIOS

Agricultores iniciam colheita de pluma de algodão em Mato Grosso

Publicado em

Os agricultores começaram a colher algodão em pluma, uma das culturas cultivadas em Mato Grosso. Nesta safra, a área plantada aumentou para 1,18 milhão de hectares e, em 2021, foram plantados 960 mil hectares.

A produção deve ser de 278 arrobas de algodão em caroço por hectare, apenas um arroba a mais em relação à temporada do último ano.

No entanto, como a área é grande, o volume de algodão colhido deve crescer e ficar próximo de 5 milhões de toneladas, cerca de um milhão a mais que no ano passado.

Na primeira safra, plantada em dezembro, os resultados são bons, enquanto a segunda safra, plantada em janeiro logo após a colheita da soja, não teve o mesmo efeito. O algodão foi cultivado durante o que foi considerado uma boa estação, mas o clima não colaborou com os produtores.

Em uma fazenda em Novo São Joaquim, a 487 quilômetros de Cuiabá, o resultado foi diferente nesta temporada. Segundo o gerente local, Jackson Ferreira, o algodão colhido ocupa 3.000 hectares, 15% a mais que na safra passada.

Leia Também:  Poder Judiciário de Mato Grosso

No início do ciclo, o clima afetou o crescimento da safra e a taxa média de produção foi de 5% em relação ao ano anterior.

“No ano passado choveu muito durante a janela de plantio e não executamos dentro do ideal. Já neste ano a chuva foi muito boa e conseguimos plantar dentro da janela. Durante o ciclo da cultura a chuva foi bem distribuída, mas a safrinha recebeu bem menos volume. Isso vai afetar um pouco na produtividade do algodão. Esperávamos colher 250 arrobas, mas vai chegar no máximo 230 arrobas”, disse Jackson.

Em uma fazenda em Campo Verde, a 139 quilômetros de Cuiabá, a colheita já começou. Segundo o agricultor Rodolfo Bertani Lopes da Costa, foram plantados mais de 1.500 hectares, sendo 580 em dezembro e o restante no mês seguinte.

“Esse ano choveu antes. Eu terminei o plantio do algodão safrinha em 20 de janeiro. Então foi dentro da janela e, com o preço do algodão, resolvemos aumentar as áreas de sarfinha. Só que tivemos um corte de chuva antecipado e isso ocasionou perda e a perspectiva de produção foi reduzida. A gente esperava produzir 120 arrobas de pluma e agora a produção vai ser por volta de 80 arrobas de pluma por hectare. Este ano estamos trabalhando com 40% de algodão safra e 60% de safrinha”, concluiu.

Leia Também:  Poder Judiciário de Mato Grosso

Fonte: Agroplus.tv  

Fonte: AgroPlus

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

AGRO & NEGÓCIOS

Balanças rodoviárias ajudam a controlar custos em confinamentos de bovinos

Published

on

O controle da planilha de custos é essencial para a lucratividade e o sucesso da pecuária, considerando as reduzidas margens da atividade. E isso vale em todas as etapas do processo, incluindo atividades que às vezes podem passar despercebidas, como embarque e recepção do gado ou caminhões com insumos. “Ter equipamento para pesagem na propriedade é essencial nesse processo”, explica o zootecnista Gustavo Trivelin, coordenador de marketing da Coimma, empresa líder no mercado de troncos e balanças para pecuária. “Além de ser uma ferramenta imprescindível de gestão, ajuda a evitar fraudes ou até erros humanos, protegendo o investimento. Essa atenção é particularmente importante no confinamento, especialmente em um ano de custo elevado de animais de reposição e valorização dos insumos nutricionais”.

Gustavo Trivelin recomenda que o controle das operações de confinamento inclua o uso de balanças rodoviárias. “É extremamente importante que todos os insumos recebidos sejam auditados, seja um caminhão de boi magro ou um caminhão de grãos. Antes do descarregamento, o veículo deve passar pelo equipamento de pesagem, certificando que o valor pago pelo peso está correto”, destaca.

Leia Também:  Exportações de Mato Grosso atingem novo recorde: US$ 13,94 bilhões

O profissional recomenda atenção também na hora de embarcar os bois terminados. “Mesmo depois do processamento no curral e o registro do peso individual dos animais, o caminhão de transporte bovino precisa passar pela balança rodoviária para verificar o peso total carregado, para posteriormente ser comparado quando a carga animal chegar ao frigorífico”.

A balança rodoviária possibilita o gerenciamento de informações dos produtos e insumos enviados ou recebidos. “A implantação de uma balança rodoviária no confinamento reduz as perdas na operação e proporciona agilidade, já que basta o caminhão subir no equipamento que os dados são digitalmente calculados. A balança rodoviária possui um painel indicador resistente e assertivo, o que facilita a coleta de informações”.

O equipamento conta com o Indicador WT27-R Gráfico, que é à prova de interferência eletromagnética, tornando-se um componente extremamente resistente. A balança também é compatível com células de carga digitais e analógicas. As células de carga digitais possuem circuito eletrônico interno, que monitora e garante a segurança na transmissão de dados, minimizando falhas na pesagem e levando confiabilidade nas informações geradas.

Leia Também:  Corregedora nacional atenderá população no Tribunal de Justiça de Mato Grosso

Além da balança rodoviária de concreto, que é o modelo mais tradicional do mercado, a existe a balança rodoviária versão metálica. Um grande diferencial da balança rodoviária metálica é a viabilidade de sua instalação em áreas arrendadas ou confinamentos temporários. “Além de reduzir o custo de investimento de obra civil, por ser toda de aço, a balança metálica é modular, podendo ter sua dimensão ampliada ou ser carregada para outro ambiente e reinstalada”, diz Gustavo Trivelin.

Como diferencial, existem equipamentos robustos, com longa vida, alta qualidade de acabamento e assistência técnica especializada em atender empresas pecuárias.

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA MT

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA